Adivinhem qual o pedido de Flor, filha da famosa chef de cozinha Bela Gil e de João Paulo Demasi (gerente de um estúdio de design), para a arquiteta Hana Lerner? Um quarto que remetesse ao universo da cozinha. Como praticamente toda menina de 7 anos, a inspiração é sua mãe, uma espécie de guru da vida saudável com o programa de culinária Bela Cozinha, no canal GNT, e um livro best-seller de receitas. Bela queria um ambiente sem temas e básico. E coube a Hana planejar o espaço de 10m2, em um apê na Gávea, para deixar ambas felizes.

– Meu desejo era por um lugar bem funcional e que coubessem as coisas dela. Adoro madeira aparente e algumas pinceladas de cores quentes, que, repare, vieram pelas comidinhas que aparecem no quarto – diz Bela, que ainda não começou a planejar o quarto do novo bebê. – Vou esperar saber o sexo primeiro… Gosto da ideia do colchão no chão, mas não decidimos nada.

O ateliê Nina Moraes, encarregado de caprichar nos detalhes artesanais, criou uma guirlanda de crochê com folhas, flores e frutas, que se enrosca no fio de luz . Os ganchos, para pendurar bolsas e enfeites, também têm formato de limão siciliano, laranja, morango… Ficam no ponto alto do quarto: a parede com um grande painel flexível de madeira, bolado pela arquiteta. Por lá, tudo (prateleiras, nichos, o quadro de lousa…) pode ser movido para os lados, para cima e para baixo.

– O painel remete a uma feira, com as ripas de madeira. Leva um pouco o astral que a Flor queria – explica Hana. – E o objetivo é que tudo vá se adaptando conforme as necessidades dela. Havia, por exemplo, uma cozinha de brinquedo aqui, mas ela ganhou o piano e quis botar no lugar, então mexeu nas prateleiras e conseguiu abrir espaço para ele.

Para otimizar os 10m2, uma bancada em freijó corre por toda a parede sob a janela. Tem lugar para ela desenhar, estudar, apoiar cadernos e ver as gavetas com divisórias que ficam à mostra pelo tampo de vidro. É ali que a menina organiza suas bijus, num clima meio penteadeira. Embaixo, caixotes que imitam os de feira (com rodinhas) guardam os brinquedos.

A cama estilo tatame com colchão em cima ganhou um tecido verde e almofadas estampadas bem brasileiras, com índios e animais. Trabalho da Nina Moraes, que fez ainda bastidores para pendurar como quadrinhos.

Serelepe, Flor demonstra na sessão de fotos que aproveita cada cantinho de seu universo. Desenha no quadro de lousa, mostra os caixotes com brinquedos e senta-se ao piano para dedilhar, na maior desenvoltura, “Sugar”, do Maroon 5. Em cima da cama, outro instrumento: um violino que ela quer já aprender a tocar. Impossível não lembrar do vovô Gil e a família dotada para a música.

Amamos:

O painel ripado com as prateleiras e nichos que podem ser movidos; e as frutinhas de crochê.

Mão na massa:

Caixote de feira para guardar brinquedos. Gosta da ideia? Que tal pintar e colocar rodinhas?

Deixe seu comentário

4 comentários

  1. Renata Bellas

    Adoro o estilo deste quarto, gosto do colorido dia caixotes, dessa “pegada” reciclada! Arrasou!!!

    Responder

  2. Tabita Said

    Adorei as cores, em especial o instrumento – tbm tô tentando encaixar o teclado no quarto da minha Sophia 🙂

    Responder

  3. Elisabete Boszko Martins

    Simples, criativo e aconchegante.

    Responder

  4. Pingback: Organizando os brinquedos! - Mamãe Arquiteta