Casinha branca

Mariana, 4 anos, queria um quarto rosa. E a arquiteta HANA LERNER e o ateliê NINA MORAES conseguiram atender o pedido da mocinha fugindo do estereótipo princesa. O resultado é um universo artesanal de flores e nuvens, além da famosa cabeceira casinha numa versão original.

Fotos: Nicolas Bouriette

Sai de cena o quarto com carinha de bebê para dar lugar a um ambiente de menina mais crescidinha. Ao completar 4 anos, Mariana ganhou tudo novo em seu espaço, pensado sob medida pela arquiteta Hana Lerner, junto com o ateliê Nina Moraes. Um pedido: a mocinha queria um mundo cor de rosa. Começou, então, a pesquisa por um papel de parede no tom.

_ Foi a primeira coisa que fizemos pra esse quarto: buscar um papel de parede que tingisse o quarto com essa cor, mas com personalidade, sem deixar clima de princesa tradicional que a gente não curte muito e a criança cansa quando muda de fase. Chegamos a esse de tulipas, que deu um efeito bacana _ conta Mariana Moraes, uma das sócias do Nina Moraes.

Ponto alto no quarto, a cama chama a maior atenção, seguindo a tendência da casinha mas de forma mais original, com a cabeceira na lateral da cama.

_ Dessa forma, deu uma sensação de espaço maior, o que foi muito pensado nesse projeto já que o ambiente tem apenas 9m2. É uma marcenaria pintada de branco, que ganhou uns pontos de decoração, com o nome dela, passarinhos e flores de crochê (by Nina Moraes, assim como as almofadas), além de um apoio para livros que funciona como um criado mudo _ explica Hana.

A cama já no tamanho padrão, desenho da arquiteta, é uma bicama com lugar ainda para gavetões embaixo. Veja no detalhe: os puxadores e a proteção contam com acabamento em corda.

Em frente, fica a bancada com altura regulável com a penteadeira (também toda desenhada por Hana Lerner, junto com a estante e o revisteiro verde). Basta levantar o espelho e aparecem as divisórias para suas bijus e acessórios. Na prateleira em cima, luz embutida ilumina a mesa e acende os objetos expostos. Para guardar brinquedos, tem baús amarelos com rodinhas, cesto feito à mão e ainda a parte suspensa da estante, fixada no alto da parede.

Marca da Nina Moraes, não faltaram os ganchinhos cobertos com crochê (repare: atrás da porta e embaixo da janela), que ficam um mimo para pendurar arcos, bolsas, etc. As nuvens na parede também foram forradas, de tecido estampado – são luminárias. Tudo bem feminino, a cara da Mariana.

Amamos:

A forma como a casinha aparece, sutil e sem pesar no espaço; os detalhes artesanais como os ganchos forrados, o nome "Mariana" e a corda nos puxadores e proteção da cama.

Mão na massa:

Se o quarto é pequeno, um apoio fixado perto da cama pode fazer as vezes de criado mudo, dando lugar a livros, etc. Simples e fácil de fazer, com madeira.

Deixe seu comentário