Tá de brincadeira!

Espaço não é problema nessa casa de Itacoatiara, em Niterói. As três crianças que moram lá ganharam o último andar inteirinho só para brincar, com direito a vista para o mar e a montanha. Na prancheta da arquiteta LEILA BITTENCOURT, o lugar foi transformado em uma divertida brinquedoteca.

Fotos: Leonardo Costa

O ambiente tem cerca de 60m2, mais que perfeito para espalhar brinquedos à vontade, sem amontoar e deixando espaço de sobra para o trio se esbaldar. O piso branco já estava lá quando Leila Bittencourt chegou:

– É bom, fica clean e estimula a sempre deixar limpinho – defende.

Era hora de pôr em prática a regra número um quando o assunto é organização de brinquedos, segundo a arquiteta: deixar boa parte à vista das crianças para que elas possam escolher. Prateleiras de madeira com mãos francesas vermelhas foram espalhadas para abrigar os bonecos. O vermelho, aliás, é a cor que dá uma bela quebrada na base branca. Ela aparece ainda nos baús com frente de acrílico e no painel que serve de encosto para o tatame com futon. Os livros também ficam aparentes, arrumados em um nicho fino, que deixa um ao lado do outro – o mesmo recurso usado para expor a coleção de Barbies. Já o que é menos usado vai para o alto, em estantes suspensas e com porta de correr.

– Outro item bacana para uma brinquedoteca são baús com rodinhas. Permite que a criança leve pra onde quiser e facilita a arrumação depois – diz Leila.

Os móveis, todos da Oba!, completam o clima lúdico deste playground particular. Mesas com nichos para lápis de cor, banquinhos de bichos coloridos da italiana Magis, almofadas estampadas e rolo de papel preso na parede para a criança puxar e desenhar.

Amamos:

A harmonia da madeira com o vermelho; os baús com rodinhas e a mesa em "cruz", com lugar para os lápis no centro.

Mão na massa:

Ideia boa deixar papel fixo na parede para a criança desenhar à vontade. Que tal criar um bloco grandão, usando corda, fita adesiva e papel pardo?

Deixe seu comentário