Logo que Felipe nasceu, Antonia morava em um apartamento delicioso, com vista verde, mas alugado. Quando resolveu procurar um imóvel para comprar, logo definiu as prioridades: muito espaço, circulação generosa, luz natural e proximidade da futura escola de Felipe. Tudo isso (e muito mais) encontrou em um prédio baixo, com varanda, no Humaitá. Ali, ela montou para valer o quarto do pequeno, de 10m2, com paredes verdes e o tema de esportes nos objetos, estampas e detalhes da decoração.

– Muita coisa daqui veio do antigo quarto dele, de bebê. Acho importantíssimo não fazer nada descartável, reaproveitar os móveis e priorizar uma estética atemporal. A criança cresce, mas o espaço se adapta com facilidade e sem grandes mudanças. Esse berço vira caminha e o trocador vai ser o rack da TV – diz ela, que assina a Agenda e Agendinha cariocas, com dicas sobre a cidade.

Mãe de primeira viagem, Antonia é daquelas que se diverte e tem a maior paciência para brincar com Felipe. Como seu escritório funciona em casa, sempre que pode dá uma fugida para ver como ele está. E aproveita para sentar no chão do seu quarto, espalhar os brinquedos ou contar uma história.  Na sala, montou também um cantinho lúdico, com uma mesinha “de trabalho” e um arsenal de lápis, pilots e livros infantis.

– Misturei, na arrumação do quarto dele, um pouco de tudo que gosto. Sem frescuras. Há peças de família, como a cadeira de balanço que foi minha. A poltrona é simples, mas bem confortável, perfeita para o momento carinho, e o luxo dos luxos é  a obra de arte de Felipe Barbosa, que estampa a parede como uma bola estilizada.

Amamos:

O quadro de Felipe Barbosa na parede, bacanérrimo; a cadeira de balanço antiguinha, que foi de Antonia.

Mão na massa:

As colchas de patchwork foram compradas fora, mas basta reunir alguns retalhos e pedir para a costureira arrematar, com um enchimento fofinho.

Deixe seu comentário