Na Estrada: Caraíva

Bagagem leve, disposição para a longa viagem (que inclui avião, carro e barco) e entusiasmo para desbravar a história do Brasil. Foi assim que a ilustradora JANA MAGALHÃES partiu rumo ao Sul da Bahia, com a filha NINA, 5 anos, e o marido GABRIEL LUPI, empresário. Destino: Caraíva e arredores. Você já foi? Então vá! 

Fotos: Jana Magalhães

e Gabriel Lupi

Tags:

“Sabia que seria uma viagem fantástica não apenas pelas praias lindas da Bahia mas também por vivenciar a história do Brasil na Costa do Descobrimento com a Nina. O trajeto é longo: voamos Rio – BH – Porto Seguro. Em Porto Seguro, pegamos o carro que havíamos alugado e seguimos por mais de duas horas até Caraíva. Levamos coisas pra Nina se entreter, claro: Ipad, livros, lápis e canetinhas, livros de colorir e principalmente, livrinhos de passatempo. Uma coisa legal é ter uns snacks, como amêndoas, na bolsa e avisar a criança com antecedência sobre cada etapa da viagem, o tempo que teremos que aguardar na conexão, nos voos, na estrada, que haverá uma viagem de barco, etc. Em Caraíva, ainda é preciso estacionar o carro e pegar o barquinho. Então atenção também com as malas – quanto menores, melhor. Lá, só se anda de chinelo mesmo, você precisa de pouca coisa.

Foram 8 dias de praia, praia, praia, areia, areia, areia. Caraíva é toda na areia, então até pra jantar você caminha por ela. Nossa rotina era tomar um café da manhã sensacional na pousada, ir para a praia ou para o rio, almoçar peixe, tomar sorvete, descansar um pouco no hotel e sair para passear e jantar na cidade. Eu ainda podia desenhar na praia!

Nossa pousada (Casa de Caraíva) foi um acerto. Aconchegante, bonita, boa comida e na beira da praia… Você acorda, dá 5 passos e está na praia. Além do Bar da Praia, que é o restaurante dessa pousada, destaco mais três lugares imperdíveis para comer: a sorveteria Caraíva, o restaurante e cachaçaria Caraíva e uma pizzaria super rústica que tem na rua à esquerda da pousada. O restaurante Principado é super bem indicado por todos, mas acabamos não indo.

Aproveitamos também para visitar outros lugares, como Trancoso, Praia do Espelho e Corumbau. Para Trancoso, tivemos que pegar o carro. Só uma observação: Nina foi à base de remédio para enjoo porque são 50 minutos no mínimo na estrada de terra, que é muito precária, sacode o tempo todo. Se a criança tem tendência enjoar, é fundamental tomar o remédio. Corumbau foi um dos pontos altos da viagem. Nossa filha amou o passeio de buggy e ainda pegamos o barco para atravessar o rio. Lá, almoçamos em um restaurante bem local mesmo. E quebrar os caranguejos com o martelinho na beira da praia e comer olhando aquele visual? Inesquecível!”

Deixe seu comentário