Sem gênero

Quando soube que estava grávida de Olivia, a arquiteta ANA LUIZA NERI fez um projeto sob medida para transformar o seu home office em um ambiente sem gênero, funcional e onde todos os móveis pudessem ser posteriormente reaproveitados.

Fotos: Nicolas Bouriette

O ponto de partida para o projeto do quarto de Olivia, recém-nascida, foi planejar cada detalhe de olho no reaproveitamento do mobiliário em outros espaços da casa. Para isso, a mãe da mocinha, a arquiteta Ana Luiza Neri, caprichou no desenho de cada peça, principalmente a cômoda e o armário, feitos com medidas padrão modulares que facilitam o encaixe em outros ambientes.

_ Acho complicado aquela situação de que, quando a criança cresce, os móveis perdem completamente a função. Um desperdício _ conta ela.

Outra questão essencial foi a escolha das cores: Ana não queria nada marcante, ou muito ligado a menina ou menino. Optou por tons básicos, neutros, como o cinza (papel da Branco Papel de Parede), com pontos cítricos em lugares estratégicos (amarelo e laranja).

_ O conceito foi ter um quarto sem gênero muito definido. Assim, se a família crescer, tudo fica mais fácil _ diz.

A posição estratégica da poltrona de amamentação (Costela, da Velha Bahia) – fácil também de ser reaproveitada em outro ponto da casa – possibilitou a colocação de prateleiras baixas ao lado, ao alcance de Olivia, perfeitas para quando ela começar a se movimentar. O berço é da Ameise e o cesto organizador de brinquedos, com estampa de leão, da Milk studio.

Para dar o “molho”, Ana foi garimpando objetos em diferentes lojas e lugares. Durante a gravidez, viajou muito e sempre trazia algo especial, de designers locais.

_ Acima de tudo, eu queria que o quarto fosse recheado de memórias, de boas lembranças. Tudo tem a nossa cara, cada detalhe _ arremata.

Amamos:

O fato do quarto não ter gênero: ser neutro mas cheio de personalidade. O desenho da cômoda e do armário, de Ana, é lindo. Simples e descolado e pode ser facilmente reaproveitado em outro espaço da casa.

Mão na massa:

A composição na parede, com objetos garimpados, ficou um charme. Usar ganchos (cabideiros) e deixar à mostra mochilas e roupinhas bacanas é uma forma de trazer personalidade à decoração.

Deixe seu comentário

Um comentário

  1. Carolina

    Olá, adorei esse quarto! Sabem dizer de onde são as prateleiras de ferro com madeira?

    Responder