Na Estrada: Paris
de patinete

A arquiteta Adriana Sadala e o marido, o designer Pedro Gaspar, levaram os filhos para esquiar na França e esticaram em Paris, por poucos (e movimentados) dias. Nina, de 8 anos, e Felipe, de 4, amaram a experiência, não reclamaram do frio e andaram por todos os lados. O segredo? Os patinetes foram junto na mala!

Fotos: arquivo da família

Tags:

Quando uns amigos deram a ideia de levar os patinetes das crianças para a viagem de ski na França, com direito a 4 dias em Paris, Adriana Sadala e o marido, Pedro Gaspar, acharam a proposta um tanto quanto inusitada, mas resolveram apostar em deixar a duplinha “motorizada” pelas ruas da capital francesa. Desmontaram as geringonças, colocaram na mala e pegaram o avião. O resultado? Uma experiência incrível com a família completa, que Adriana recomenda!

_ No inverno, Paris fica vazia e o bom é que não tinha fila nos museus, nem os restaurantes estavam lotados. Assim conseguimos fazer nossa programação com a maior tranquilidade e foi um sucesso. Pegamos dias lindos, céu azul, mas um frio que chegou a menos 6 graus. Só que andando e em movimento acabamos nos distraindo _ diz ela.

Adriana e Pedro já foram à cidade várias vezes, mas era o début das crianças por lá. Resolveram traçar então um roteiro elaborado, para não cansar nem traumatizar a dupla, de 8 e 4 anos. E como sabiam que a graça é fazer tudo a pé, contaram com os patinetes para os pequenos se distraírem pelas ruas. E não é que deu certo? Eles amaram os parques, os museus e os restaurantes… Uma aventura em família, que ela dá a dica: programar apenas uma atração cultural por dia.

_ Escolhemos ficar no Citadines, um apart hotel bem confortável em Saint Germain. Tomávamos café ali e jantávamos “em casa”, um lanche. Dessa forma, quando escurecia, a galerinha já estava numa boa, sem estresse _ diz ela.   

“Dia 1  –  Torre Eiffel. Subimos, vimos a vista, tudo sem fila! Depois, fomos almoçar no restaurante que fica no primeiro andar da Torre, onde tinha também uma pista de patinação no gelo, perfeita para a Nina se esbaldar. Na volta, pegamos o Bateau Mouche e fomos pelo Sena para o hotel, vendo os prédios históricos, lindos, do rio.

Dia 2 – Queríamos muito ver a exposição que estava na Louis Vuitton, coleção de um magnata russo, que não era muito própria para as crianças. Mas eles ficaram numa boa. Andamos direto pelo Parque d’Aclimatation, onde fica o LV, o maior programa gostoso, porque ali tem trenzinho, lugar para brincar. Nesse dia, eles ficaram direto no patinete. Depois, a ideia original era almoçar no Entrecôte – le Relais de Venise -, perto do Arco do Triunfo. Acabamos indo no de Saint Germain, uma delícia para comer bife com “frites”.

Dia 3 – Jardin des Plantes e Museu Histórico Natural, com direito a ala da Anatomia e Paleontologia, repleta de esqueletos de todos os tipos de bichos. No segundo piso, ficam os de dinossauros, incríveis. Para chegar no museu, saímos de patinete do hotel, fomos beirando o Sena, passeio lindo. Depois, almoço em um bistrô típico francês – o Le Petit Pontoise (na rue Le Petit Pontoise). Já conhecíamos esse restaurante e tem uma salada com camembert e um pato maravilhosos! Não é turístico.

Dia 4 – Dia do Musée d’Orsay. Saímos do hotel e fomos andando até o museu, atravessando a ponte do Sena. O prédio é lindo, uma antiga estação, e as crianças adoraram. Depois seguimos até o L’Orangerie, ver as Ninféas de Monet. As crianças ficaram impressionadas com a sala circular e a proporção das telas, que cercam todo o espaço. Dali seguimos para a roda gigante, que foi divertido, sem fila! Almoço seria no Fauchon Madeleine, mas estava fechado. Fomos para o Café Paris-Londres, onde comemos maravilhosamente bem.

O único programa “roubada” foi a ida ao Louvre. Demoramos quase duas horas para conseguir achar e chegar perto da Monalisa e, no final, foi muito cansativo para eles. Melhor voltar quando forem mais velhos. Mas saímos e sentamos no Café Marly, com vista para a Pirâmide do Louvre. Éramos um grupo de 20 pessoas e ficamos na varanda. Coisas que só são possíveis no inverno em Paris, quando a cidade não está tomada por turistas”.

Depois, a família seguiu para um Club Med, nos Alpes, para esquiar… Mas aí é outra história!

Deixe seu comentário

Um comentário

  1. Duda Gomide

    Amo essa familia!!!!! São simplesmente o máximo!!!

    Responder