Nos fins de semana, quando a família de Nina (dona do quarto Verde e Rosa), de 2 anos, praticamente se muda para o segundo piso da cobertura – onde fica a piscina, churrasqueira e terraço -,  a pequena vai junto. E os pais convidam os filhos dos amigos para se divertirem com ela na brinquedoteca que Paula Daemon, da Linha Arquitetura, montou em um canto da sala. Ali, tem de tudo: uma cabaninha, lousa, mesa e cadeiras fofas baixinhas (desenho de Paula), perfeitas para desenhar, além de um balanço gostoso (Bamboo Style) fixado no teto. Dá para pedir mais?

_  Na verdade, esse canto facilitou muito a vida dos pais, que ficam mais relaxados aqui em cima, porque a Nina tem onde brincar. Aqui, ela fica totalmente distraída. Quis dar um clima gostoso e divertido para o espaço, o teto ganhou pintura listrada e o lambri de madeira é perfeito para encaixar os livros e protege as paredes das mãozinhas infantis. E ainda tem a lousa, baixinha, que serve como revestimento _ diz Paula.

Para trazer mais cor e um toque aconchegante para o ambiente, Paula sugeriu que os pais investissem em brinquedos artesanais, como a tendinha com estampa zigue-zague, almofadas coloridas, o jacaré de tecido e bichinhos de tricô (tudo da LZ Mini). A lousa acompanha a altura da Nina e os macaquinhos pendurados, um charme, foram feitos pela avó prendada da mocinha.

_ O legal é que consegui montar esse ambiente sem fazer uma obra grande. Acho que é uma forma de sugerir que os pais transformem um pedaço da sala em um canto para as crianças brincarem. Assim elas ficam pertinho, sempre por perto, lado a lado dos adultos – uma convivência saudável. Uma dica é procurar brinquedos interessantes, que tenham uma pegada artesanal e sejam, também, decorativos _ arremata Paula.

Amamos:

O clima divertido do espaço, com teto listrado e lambri para os livros.

Mão na massa:

A lousa baixa, como revestimento, é uma forma simples e divertida dos pequenos se sentirem incentivados a desenhar.

Deixe seu comentário