O ponto de partida para o projeto do quarto de Beatriz, uma pré-adolescente que ainda brinca com suas bonecas queridas e adora tudo bem colorido, foi a escolha do papel de parede. A arquiteta Raquel Junqueira  propôs que elas dessem, juntas, uma olhada na coleçao do site www.papeldeparededosanos70.com. Foi paixão à primeira vista e a estampa escolhida foi uma cheia de flores e pássaros. De resto, bastou desenhar a marcenaria em frente, com estante, nichos e escrivaninha encaixada. Detalhe: a bancada de peroba do campo se encaixa nos dentes laterais e pode mudar de altura, conforme o crescimento da menina. Simples e prático.

– Na verdade, foi um quarto econômico, sem muito investimento. Mandamos fazer a estante e o armário, que tem uma das portas espelhada. Usamos a mesma cama que já era dela e só colocamos uma colcha bonita, listrada, tipo edredom. Os dois nichos em cima da cama funcionam bem para colocar livros e dar uma quebrada na padronagem forte do papel. É prático porque eles servem ainda como um apoio, já que não tem mesa de cabeceira – diz Raquel.

De resto, Bia adora encher cada cantinho com suas almofadas estampadas e os brinquedos de estimação, que ainda a acompanham na cama, especialmente na hora de dormir.

– Esse é o típico quarto de transição. Ela ainda é uma criança, tem 9 anos, mas em breve vai ser adolescente e ter outros interesses. Então montamos uma base neutra e simples, que dá para ser aproveitada por um bom tempo. As bonecas em breve darão lugar a livros, porta-retratos e objetos descolados. E tudo com o cuidado de não ficar entulhado demais.

Amamos:

Os nichos em cima da cama, práticos; e a bancada que se encaixa nos dentes laterais e se adapta ao crescimento da criança.

Mão na massa:

A sugestão é se inspirar no quarto da Bia e chegar a esse efeito estampado com um patchwork de diferentes padronagens de papel.

Deixe seu comentário

Um comentário

  1. Pingback: Na medida certa - NaToca